segunda-feira, 17 de junho de 2013

Dívidas contraídas pelo Governo de Minas chegam a R$100 bilhões de reais

Em regime de urgência e com manobras internas, a base do governo Aécio/Anastasia conseguiu aprovar em 1º turno na Assembléia Legislativa de Minas Gerais o Projeto de Lei 4.041/13, que autoriza o Estado a contratar mais um empréstimo. R$1,15 bilhão que será somado aos cerca de R$100 bilhões de dívidas já contraídas pelo Governo de Minas.

A votação, que recebeu 40 votos favoráveis e 12 contrários, foi feita após um acordo de líderes, fechado durante a interrupção dos trabalhos da Reunião Ordinária de última terça-feira, 11 de junho. Segundo o Deputado Sávio Souza Cruz a oposição teve apenas 10 minutos para se manifestar sobre o projeto.

Deputado Sávio Souza Cruz (PMDB)

Já o Deputado Rogério Correia denunciou que "só de pedidos de empréstimos dos governos Aécio/Anastasia são R$25 bilhões de reais". O deputado disse ainda: "não dizem nunca que Minas Gerais é o segundo Estado mais endividado do Brasil", que "choque de gestão é um arroxo no serviço público" e "o Déficit Zero é uma mentira".

Deputado Rogério Correia (PT)

Assista abaixo aos pronunciamentos dos Deputados Estaduais Sávio Souza Cruz (PMDB) e Rogério Correia, (PT).

video
Deputado Sávio Souza Cruz (PMDB)

video
Deputado Rogério Correia (PT)



terça-feira, 4 de junho de 2013

Deputado Padre João elogiou os desembargadores que mantiveram Aécio Neves réu em ação civil por improbidade administrativa pelo desvio de R$ 4,3 bilhões da Saúde

O deputado Padre João (PT-MG) elogiou, em plenário, decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais que manteve o ex-governador de Minas e atual senador pelo PSDB, Aécio Neves, réu numa ação civil por improbidade administrativa pelo desvio de R$ 4,3 bilhões.

“Queremos cumprimentar os desembargadores que, por três a zero, negaram provimento ao recurso. Então, Aécio Neves continua como réu. Em vez de investir os 12% na saúde, investia 7%, ao longo dos sete anos de mandato. Então, continua como réu e espero que seja julgado ainda este ano para desmascarar o choque de gestão, porque isso estava sacrificando o povo”, frisou o deputado Padre João (veja no vídeo abaixo).

video

Em ação civil pública movida pelo Ministério Público de Minas Gerais, Aécio Neves, à época governador de Minas Gerais pelo PSDB, é acusado do desvio de R$ 4,3 bilhões da saúde e de ter destinado a verba para a Companhia de Saneamento (Copasa). No entanto, o dinheiro não consta do balanço da Empresa. 
Com isso, o Tribunal de Justiça do estado decidiu que não vai encerrar o caso, que a apuração prossegue e que o Aécio Neves continua réu no processo.

(Gizele Benitz, PT na Câmara)